Nasofibrolaringoscopia

A nasofibrolaringoscopia é um exame diagnóstico que permite avaliar desde a cavidade nasal até a laringe, realizada por meio de um aparelho chamado nasofibroscópio. Este aparelho consiste em um sistema composto por um tubo flexível, fibras ópticas e câmera, que permitem uma visão global das estruturas, além de mostrar a relação e proporções entre elas. 

 

É um exame indolor que pode ser realizado de maneira rápida (em poucos minutos), em ambiente ambulatorial e sem preparação. O jejum é orientado apenas quando o paciente tem reflexo nauseoso muito intenso. O exame pode ser feito com anestesia local, com lidocaína gel ou spray ou até mesmo sem uso de anestésicos, uma vez que o efeito da medicação pode incomodar mais do que o próprio exame em si. A sedação raramente é necessária, sendo usada em pacientes agitados e não colaborativos, como em algumas síndromes neurológicas. As crianças geralmente toleram bem este exame.

 

A nasofibrolaringoscopia pode ser realizada em crianças de todas as idades.  Existem espessuras variadas de fibras que podem ser adaptáveis aos vários tamanhos de fossas nasais, inclusive as de recém-nascidos. Crianças maiores podem colaborar com a realização do exame, já as crianças menores podem sentir necessidade de proteção dos pais ou acompanhante, podendo ficar no colo para maior conforto e restrição de movimentos, quando necessário. É um exame indispensável para o diagnóstico de várias doenças nasais, como a hipertrofia adenóide, quadro muito comum na infância e que está associado à apnéia obstrutiva do sono em crianças. Auxilia também no diagnóstico da laringomalácia.

Nasofibrolaringoscopia Vivendo com Laringomalácia

Também existe a possibilidade de gravar um vídeo do exame, uma vez que a realização é rápida e muitas vezes é necessário avaliar as imagens para realizar o laudo, o que colabora para o diagnóstico e seguimento da criança. 

Todo conteúdo que disponibilizamos é meramente informativo. O diagnóstico e a condução do tratamento só devem ser feitos pelo seu médico. Textos e comentários não substituem a consulta médica. Se você acha que o bebê está com problemas para respirar, chame o SAMU ou procure o pronto atendimento.